Caminhada rota recomendada

PR1 FND Caminho do Xisto da Barroca - Rota das gravuras rupestres

Caminhada · Portugal
Responsável por este conteúdo:
Aldeias do Xisto Parceiro verificado  Escolha dos Exploradores 
  • Figurações paleolíticas de cavalos
    Figurações paleolíticas de cavalos
    Foto: Catarina Almeida - ADXTUR, Aldeias do Xisto
m 450 400 350 8 6 4 2 km Lameirinhos Casa de Campo Casa do Silvério Lameirinhos Casa de Campo Solar Vicente
O Caminho do Xisto da Barroca leva-o pelos recantos do rio Zêzere, cujas margens são povoadas por gravuras rupestres e vestígios de atividades que o transportam para outras épocas.
fácil
Distância 9,2 km
2:30 h
205 m
205 m
439 m
350 m
 Ao percorrer o Caminho do Xisto da Barroca - Rota das Gravuras Rupestres vai descobrir os recantos surpreendentes do rio Zêzere, vistos do alto da Senhora da Rocha ou ao nível do rio, passando ainda pelas gravuras rupestres existentes em rochas nas duas margens. Caso queira evitar a ascensão à capela da Senhora da Rocha pode optar por seguir a variante PR1.1 sinalizada, que o levará diretamente ao pontão do Zêzere atravessando a aldeia. Após visitar as gravuras rupestres, segue rio acima até às escombreiras do Cabeço do Pião e retorna à Barroca pela Rota do Mineiro.

Conselho do autor

As gravuras rupestres que animam as margens do rio Zêzere, as paisagens mineiras e o núcleo central da barroca merecem toda a sua atenção.

Reserve o seu alojamento, experiência e refeição em Book in Xisto

Foto do perfil de Aldeias do Xisto
Autor
Aldeias do Xisto
Atualizado: 23.04.2020
Dificuldade
fácil
Técnica
Esforço
Ponto mais alto
439 m
Ponto mais baixo
350 m
Melhor época do ano
jan
fev
mar
abr
mai
jun
jul
ago
set
out
nov
dez

Tipos de caminhos

Mostrar perfil de elevação

Informação de segurança

O estado do percurso muda com as condições meteorológicas, por isso, no inverno e em dias de chuva, tenha especial atenção ao piso escorregadio. No verão, as temperaturas podem subir consideravelmente, por isso use sempre chapéu e leve água. A derivação da gravura rupestre tem acesso condicionado de 1 de outubro a 31 de maio.

Contatos úteis

SOS Emergência: 112

SOS Floresta: 117

GNR de Silvares: (+351) 275 662 453

ADXTUR- Rede Aldeias do Xisto: (+351) 275 037 393 | (+351) 960 101 873

Dicas e sugestões

Situada nas vertentes da serra da Gardunha, a 30 quilómetros do concelho do Fundão, a Aldeia do Xisto da Barroca está camuflada na paisagem e é senhora de um outeiro da margem esquerda do rio Zêzere, onde banha os pés e de onde domina as vistas. Aqui, respira-se um ambiente rural pautado pelos ciclos agrícolas, situa-se o Poço do Caldeirão e o Centro Dinamizador das Aldeias do Xisto. A paisagem circundante é enquadrada pelo rio Zêzere serpenteando o pinhal e pelas pirâmides das escombreiras da Lavaria do Cabeço do Pião, outrora pertencente às Minas da Panasqueira, das quais, através do volfrâmio, proveio a principal fonte de receita da região, vindo a criar aqui pequenas fortunas durante os anos da segunda guerra. Nas ruas da Aldeia, pisam-se pavimentos de seixos rolados e as casas possuem por vezes passadiços ao nível do primeiro andar e deixam adivinhar, nos seus pequenos detalhes, a vontade de conferir emoções à construção. Na margem direita do rio Zêzere, ladeando o sítio conhecido como Poço do Caldeirão, localizam-se duas rochas xisto-graváquicas decoradas com gravuras rupestres de clara tipologia paleolítica, com representações de equídeos e caprídeos. São datáveis entre 20.000 e 15.000 anos A.C. Estas figuras enquadram-se nas fases antigas do ciclo rupestre do Vale do Côa, onde há bons paralelos em motivos similares. Mas existem outras, como são exemplo uma rocha de superfície horizontal na qual foram gravadas por picotagem três figurações de cavalos, todos orientados para a direita. As formas e características do suporte rochoso são aproveitadas criativamente pelo artista paleolítico, que assim integra as figuras rupestres num conjunto harmonioso em que a rocha é ela própria parte da obra de arte. Este aspeto é ainda mais acentuado no outro painel decorado do Poço do Caldeirão, este de superfície vertical muito erodida, na qual estão gravadas por picotagem fina duas representações de cabras. Com uma intencionalidade muito típica da estética dos caçadores do Paleolítico superior, as cabras estão representadas em posição de afrontamento, com as duas cabeças quase se tocando.

 

Gastronomia

- Bacalhau com Broa

- Polvo à Lagareiro

- Maranhos

- Cabrito assado no Forno

- Azeitona

- Medronho

Início

Fonte do Ribeiro da Bica (379 m)
Coordenadas:
GD
40.106969, -7.717216
GMS
40°06'25.1"N 7°43'02.0"W
UTM
29T 609328 4440418
w3w 
///costurar.míngua.tatuagens
Mostrar no mapa

Destino

Fonte do Ribeiro da Bica

Itinerário

Ao longo do Caminho do Xisto da Barroca - Rota das Gravuras Rupestres, vai ter a oportunidade de descobrir os recantos surpreendentes do rio Zêzere, seja vistos do alto da Senhora da Rocha ou ao nível do rio, passando ainda pelas gravuras rupestres existentes em rochas nas duas margens. Comece por abastecer o seu cantil na fonte do Ribeiro da Bica e prepare-se para o maior desafio do percurso com a ascensão à capela da Senhora da Rocha, de onde desfrutará de uma perspetiva diferente sobre a aldeia e o rio. Em alternativa siga pela variante PR1.1 sinalizada, que o levará diretamente ao pontão do Zêzere através do belo casario da aldeia. Se aceitou o desafio da subida e já chegou à capela, desça agora com cuidado pela íngreme ladeira até às margens do rio onde, após passar o pontão, tem oportunidade de visitar a gravura rupestre seguindo à esquerda e voltando depois atrás até ao pontão. Suba agora pela margem do rio através de um carreiro por entre a vegetação. Esta secção tem um piso algo técnico sendo necessária alguma atenção. Chegando à ponte, entre na estrada, atravesse-a e suba um pouco até retomar a margem do rio, agora no sentido descendente, tomando o percurso sinalizado como Rota do Mineiro, junto às escombreiras da antiga lavaria de minério do Cabeço do Pião. O percurso é agora fácil e agradável, calcorreando o mesmo trilho que muitos mineiros fizeram até à Barroca. Ao chegar aos arrabaldes da aldeia, um pequeno desvio leva-o a passar por uma ponte perto da qual pode ver ou visitar um conjunto de antigos moinhos de água construídos em pedra.

Nota


Toda a informação sobre áreas protegidas

Coordenadas

GD
40.106969, -7.717216
GMS
40°06'25.1"N 7°43'02.0"W
UTM
29T 609328 4440418
w3w 
///costurar.míngua.tatuagens
Mostrar no mapa
Direções de transporte público, carro, a pé ou de bicicleta

Perguntas & Respostas

Faça a primeira pergunta

Aqui pode fazer perguntas ao autor.


Avaliações

Escreva sua primeira avaliação

Partilhe sua opinião com a comunidade.


Fotos da Comunidade


Dificuldade
fácil
Distância
9,2 km
Duração
2:30 h
Desnível acumulado positivo
205 m
Desnível acumulado negativo
205 m
Ponto mais alto
439 m
Ponto mais baixo
350 m

Estatísticas

  • Conteúdo
  • Exibir imagens Ocultar imagens
Funções
2D 3D
Mapas e caminhos
  • 8 Pontos de interesse
  • 8 Pontos de interesse
Distância  km
Duração : horas
Desnível acumulado positivo  m
Desnível acumulado negativo  m
Ponto mais alto  m
Ponto mais baixo  m
Mova as setas para alterar o recorte.