Canoagem

Meandros I [GR33 - GRZ: Canoagem]

Canoagem · Portugal
Responsável por este conteúdo:
Aldeias do Xisto Parceiro verificado  Escolha dos Exploradores 
  • Rio Zêzere
    / Rio Zêzere
    Foto: Aldeias do Xisto, Aldeias do Xisto
  • / Rio Zêzere
    Foto: Aldeias do Xisto, Aldeias do Xisto
  • / Estação Intermodal da Barroca
    Foto: Aldeias do Xisto, Aldeias do Xisto
  • / Praia Fluvial de Janeiro de Cima
    Foto: Aldeias do Xisto, Aldeias do Xisto
  • / Rio Zêzere
    Foto: Aldeias do Xisto, Aldeias do Xisto
  • / Rio Zêzere
    Foto: Aldeias do Xisto, Aldeias do Xisto
  • / Rio Zêzere
    Foto: Aldeias do Xisto, Aldeias do Xisto
  • / Rio Zêzere
    Foto: Aldeias do Xisto, Aldeias do Xisto
  • / Rio Zêzere
    Foto: Aldeias do Xisto, Aldeias do Xisto
  • / Rio Zêzere
    Foto: Aldeias do Xisto, Aldeias do Xisto
  • / Praia Fluvial de Janeiro de Cima
    Foto: Aldeias do Xisto, Aldeias do Xisto
  • / Praia Fluvial de Janeiro de Cima
    Foto: Aldeias do Xisto, Aldeias do Xisto
  • / Canoagem na GR33 GRZ- Grande Rota do Zêzere
    Foto: Aldeias do Xisto, CC BY, Aldeias do Xisto
m 600 500 400 300 20 15 10 5 km
 Com 24,7 Km, este percurso passa por três Aldeias do Xisto: Barroca, Janeiro de Cima e Janeiro de Baixo.
Distância 24,8 km
5:08 h
9 m
50 m
Com 24,7 Km, este percurso passa por três Aldeias do Xisto: Barroca, Janeiro de Cima e Janeiro de Baixo, entrando pelos meandros, as maravilhosas e serpenteantes curvas do rio que escavaram paisagens absolutamente deslumbrantes na sua luta com a rocha, e que são hoje património geológico. A Barroca possui uma densa rede hidrográfica, que lhe confere solos férteis e húmidos para a agricultura. Em Janeiro de Cima, as fachadas são densamente pontilhadas por seixos rolados provenientes do leito do rio, o que faz dela uma aldeia singular. Lá do alto gritava-se “Ó da Barca!” para solicitar os serviços do barqueiro. Hoje a barca ainda existe e reinventa-se em oficinas criativas que juntam saber local e novas técnicas e materiais de construção. Em Janeiro de Baixo há duas praias fluviais, a Praia do Fundo da Eira e a Praia dos Areais da Barca. A primeira é mais resguardada e calma, sendo a segunda maior e airosa.

Conselho do autor

Percorra os estreitos e intrincados quelhos de Janeiro de Cima e, aqui ou em Janeiro de Baixo, aproveite para dar uma volta na barca tradicional.

Reserve a sua estadia, experiência e refeição em Book in Xisto.

Foto do perfil de Aldeias do Xisto
Autor
Aldeias do Xisto
Atualizado: 10.01.2021
Ponto mais alto
364 m
Ponto mais baixo
314 m

Informação de segurança

Classificação/Navegabilidade do Rio

Grau 1:

a) Águas calmas e águas com ligeira corrente, com uma velocidade máxima de 4km/h, sem dificuldade de navegação.

b) Águas correntes com velocidade variando entre os 4km/h e os 10 km/h e sem qualquer obstáculo

c) Quando a corrente é superior a 10km/h e se encontram pequenas dificuldades que exigem atenção aos canoístas. É aconselhável o uso de colete salva-vidas

 

Grau 2: Algumas dificuldades, com correntes, pequenas represas e rápidos fáceis. É aconselhável o uso de colete salva-vidas e capacete de proteção.

 

Grau 3: Navegação difícil. Corrente viva e rápidos fortes que exigem domínio da embarcação. É aconselhável o uso de embarcação apropriada. É obrigatório o uso de colete salva-vidas e capacete de proteção.

 

Grau 4: Muito difícil, mas sem perigo para canoístas bem treinados. É obrigatório o uso de colete salva-vidas e capacete de proteção.

 

Grau 5: Navegação extremamente difícil e perigosa. Só para canoístas perfeitamente treinados e preparados. É obrigatório o uso de colete salva-vidas e capacete de proteção.

 

Grau 6: Intransponível. Impraticável. Sem possibilidade de navegação.

Dicas e sugestões

Este troço passa por três Aldeias do Xisto: Barroca, Janeiro de Cima e Janeiro de Baixo.

Na Barroca continua a respirar-se um ambiente rural, pautado pelos seus ciclos agrícolas. É aqui a sede da Rede e das Lojas das Aldeias do Xisto. O casario em xisto, o rio Zêzere, o pinhal e a vista direta para as escombreiras do Cabeço do Pião dão a esta Aldeia do Xisto um charme muito próprio. Aproveite a passagem para visitar o Centro de Interpretação da Arte Pré-Histórica do Poço do Caldeirão e fique a saber tudo sobre as gravuras rupestres gravadas nas rochas do Zêzere há milhares de anos.

Em Janeiro de Cima, passeie pelos quelhos e quelhas que envolvem a Igreja Velha e em redor da qual a aldeia se formou. Visite a Igreja Nova e a Casa das Tecedeiras e refresque-se no Parque Fluvial da Lavandeira.

A Praia Fluvial, classificada como praia acessível, o parque de campismo rural, o parque de Merendas, o complexo desportivo, o tronco de ferrar, a casa paroquial, as cristas quartzíticas integradas no Geo-Parque Naturtejo (UNESCO), e os meandros do Zêzere são recursos naturais e turísticos de relevância que não pode deixar de visitar na Aldeia do Xisto de Janeiro de Baixo.

Início

Estação Intermodal da Barroca Latitude – 40º 6' 39" N; Longitude – 7º 43' 01" O (358 m)
Coordenadas:
DD
40.111053, -7.717504
DMS
40°06'39.8"N 7°43'03.0"W
UTM
29T 609297 4440871
w3w 
///chamou.uniram.originais

Destino

Estação Intermodal de Janeiro de Baixo Latitude – 40º 02' 46" N; Longitude – 7º 48' 07" O

Instruções

Estas instruções aplicam-se ao rio com um caudal médio. No inverno mantêm-se os rápidos ao longo deste troço. Atenção as algumas árvores na margem cujos troncos entram pelo rio. Há várias ilhotas e açudes que garantem a diversão dos saltos e das ondas estáticas. Exceção feita ao açude de Janeiro de Cima, que só deve ser atravessado após cuidadosa verificação das condições, nomeadamente a existência de retorno. Há sempre passagens por terra caso verifique que as condições por água não são as mais adequadas.

 

A10 - Percorridos mais 1300 m, de águas calmas, encontra-se uma sequência açude/rápido, junto à aldeia do Xisto da Barroca! Propomos duas possibilidades para transpor este local:

a) Saltar o açude mais ou menos a meio e depois passar por baixo da pequena ponte pedonal tendo em atenção ao ferro de sustentação desta (ATENÇÃO – verificar sempre a existência ou não de retorno no açude)

b) Passar encostado à margem direita e depois ir pelo meio da ponte pedonal (igual a fase final anterior). Grau 3-

A outra hipótese é seguir por terra durante 150m. e iniciar este troço de canoagem após a ponte. Para passar por terra aconselhamos encostar junto à foz da ribeira na margem esquerda e depois seguir sempre pela margem.

 

A11 - Cerca de 1100 m depois encontra-se a mini-hídrica da Barroca sendo a passagem sempre por terra e na margem direita. A abordagem da mini-hídrica da Barroca deve ser feita salvaguardando alguns cuidados:

1 – A aproximação deve ser feita junto à margem direita, evitando o perigo de maior corrente causada pela ocasional abertura das comportas localizadas mais à esquerda.

2 – A saída é feita numa reentrância da margem direita, cerca de 2 metros antes da primeira parede (escada de peixe) que se ergue junto a esta margem. A passagem da parede da barragem da mini-hídrica da Barroca implica fazer um percurso por terra com cerca de 290 m a partir da margem do rio, subindo para passar ao lado da casa de apoio à mini-hídrica, onde existe um pequeno portão aberto que dá acesso a umas escadas apoiadas com um corrimão. No final das escadas deve seguir-se o trilho que leva a jusante da parede do canal de saída das turbinas, onde se situa o local de reentrada no rio.

 

A12 - Depois da barragem e cerca de 300 m mais abaixo, existe um rápido com uma pedra de grande dimensão imersa no centro, podendo a passagem fazer-se por qualquer um dos lados, embora a nossa preferência seja a passagem pela direita. Ter em atenção que a água nos empurra contra a pedra. A passagem por terra realiza-se pela margem direita. Grau 2+

 

A13 - Cerca de 900 m depois deparamo-nos com um pequeno rápido cuja passagem deve ser feita pelo meio. Por terra deve-se utilizar a margem esquerda. Grau 1+

 

A14 - Cerca de 600 m depois passa-se por debaixo da ponte rodoviária Barroca/Dornelas do Zêzere.

 

A15 – Após mais 400 m chegamos à saída do rio, na margem direita junto aos pilares de uma ponte pedonal.

 

A16 - Se pretender saltar o açude que se encontra logo a seguir deve primeiro verificar a existência ou não de retorno. Se não existir, o salto habitualmente realiza-se a meio/direita do rio.

 

B1 - Cerca de 1250 m após o início do troço encontra-se uma ilha com passagem à direita e onde, mais uma vez, o principal cuidado prende-se com as árvores na margem. Passagem por terra na margem esquerda. Grau 1+

 

B2 - Após 500 m encontra-se um açude facilmente transponível por terra pela margem direita.

 

B3 - Após quase 1500 m encontra-se o “rápido do Rui Malheiro”, um açude partido com transposição pelo meio/esquerda e onde a principal dificuldade é duas grandes pedras logo após o pequeno salto. Passagem por terra na margem esquerda. Grau 2+

 

B4 - Percorridos mais 550 m, deparamo-nos com nova ilha, fazendo-se a passagem pelo lado direito. Passagem por terra na margem esquerda. Grau 1+

 

B5 - Mais 1000 m e de novo uma ilha, desta feita com passagem pelo lado esquerdo. Passagem por terra na margem esquerda. Grau 1+

 

B6 - Cerca de 4000 m depois chegamos à saída do rio. A saída deverá fazer-se junto à parede da barragem de Porto de Vacas. Na margem direita do rio existe uma pequena rampa com acesso à estrada.

 

C1 - Aconselha-se a entrada no rio um pouco abaixo da barragem (ver em Acessos ao rio…)

 

C2 - Cerca de 750 m depois encontra-se uma ilha com passagem à direita. Passagem por terra pela esquerda. Grau 1+

 

C3 - Cerca de 2500 m depois, encontra-se o açude do Esteiro, sendo a passagem aconselhada no Troço B / Dornelas – Alqueidão – Porto de Vacas pelo meio/direita. Com alguma água este açude pode formar uma pequena onda estática. A passagem por terra faz-se pela margem esquerda. Grau 1+

 

C4 - Durante cerca de 2000 m irá encontrar diversas ilhotas sempre com passagem à direita e passagens por terra na margem esquerda. Tenha sempre em atenção as árvores na margem. Grau 1+

 

C5 – Após cerca de 250 m irá encontrar um rápido com algumas pequenas ondas que se formam principalmente mais junto à margem esquerda. Passagem por terra pela margem direita. Grau 1+

 

C6 - Cerca de 1500 m depois, encontra o açude da Aldeia do Xisto de Janeiro de Cima. Ao passá-lo é necessária muita cautela com os suportes em ferro. Em condições normais, o salto (após verificação da existência ou não de um retorno) é efectuado mais perto da margem direita. Para passar por terra aconselhamos a margem esquerda que proporciona todos os confortos. Grau 1+

 

C7 – Após 900 m, encontra um pequeno rápido em curva, sendo a passagem efectuada pelo centro. Passagem por terra pela margem direita. Grau 1+

 

C8 - Cerca de 600 m depois, passa por baixo da ponte de Janeiro de Cima/Janeiro de Baixo.

 

C9 – Volvidos 1000 m, encontra-se o açude partido de Janeiro de Baixo, que deve abordar primeiramente pela margem esquerda passando-se logo de seguida para a margem direita. Passagem por terra na margem esquerda. Grau 2-

 

C10 - Cerca de 350 m depois, pequena ilhota com passagem pela esquerda. A passagem por terra efetua-se pela margem direita. Grau 1+

 

C11 – Após 250 m, encontra-se o açude de Janeiro de Baixo, com passagem junto à margem direita, seguindo-se a esquerda. Aconselhamos a paragem e verificação do troço seguinte do rio, que se designa habitualmente por “Gargantinha do Zêzere”. A passagem por terra é igualmente na margem direita. Nota – o troço de rio até à povoação de Admoço é geralmente, e com um caudal razoável, bastante difícil. Não deve ser realizado por pessoas inexperientes.

 

Nota


Todas as ocorrências para esta Rota

Coordenadas

DD
40.111053, -7.717504
DMS
40°06'39.8"N 7°43'03.0"W
UTM
29T 609297 4440871
w3w 
///chamou.uniram.originais
Chegada por comboio, carro, a pé ou bicicleta

Rotas Semelhantes nos Arredores

 Estas sugestões foram criadas automáticamente.

Perguntas & Respostas

Faça a primeira pergunta

Aqui você pode fazer perguntas para o autor.


Avaliações

Escreva sua primeira avaliação

Seja o primeiro a avaliar e ajude outros usuários


Fotos da Comunidade


Distância
24,8 km
Duração
5:08 h
Elevação
9 m
Declive
50 m

Estatísticas

  • 2D 3D
  • Conteúdo
  • Exibir imagens Ocultar imagens
Funções
Mapas e trilhas
Duração : horas
Distância  km
Elevação  m
Declive  m
Ponto mais alto  m
Ponto mais baixo  m
Mova as setas para alterar o recorte.