Grande Travessia de BTT rota recomendada

O Regresso da Serenidade [GR33 - GRZ: BTT Setor 7]

· 1 review · Grande Travessia de BTT · Portugal · aberto
Responsável por este conteúdo:
Aldeias do Xisto Parceiro verificado  Escolha dos Exploradores 
  • O Regresso da Serenidade: Dornes > Área de Descanso do Vale Serrão [GR33 - GRZ: Etapa 5]
    / O Regresso da Serenidade: Dornes > Área de Descanso do Vale Serrão [GR33 - GRZ: Etapa 5]
    Foto: Diogo Martins, Aldeias do Xisto
  • / O Regresso da Serenidade: Área de Descanso de Valbom > Dornes [GR33 - GRZ: Etapa 4]
    Foto: Diogo Martins, Aldeias do Xisto
  • / O Regresso da Serenidade: Área de Descanso de Valbom > Dornes [GR33 - GRZ: Etapa 4]
    Foto: Diogo Martins, Aldeias do Xisto
  • / O Regresso da Serenidade: Área de Descanso de Valbom > Dornes [GR33 - GRZ: Etapa 4]
    Foto: Diogo Martins, Aldeias do Xisto
  • / O Regresso da Serenidade: Foz de Alge > Área de Descanso de Valbom [GR33 - GRZ: Etapa 3]
    Foto: Diogo Martins, Aldeias do Xisto
  • / O Regresso da Serenidade: Foz de Alge > Área de Descanso de Valbom [GR33 - GRZ: Etapa 3]
    Foto: Diogo Martins, Aldeias do Xisto
  • / Estação Intermodal de Foz de Alge
    Foto: Diogo Martins, Aldeias do Xisto
  • / O Regresso da Serenidade: Prudência > Foz de Alge [GR33 - GRZ: Etapa 2]
    Foto: Diogo Martins, Aldeias do Xisto
  • / O Regresso da Serenidade: Prudência > Foz de Alge [GR33 - GRZ: Etapa 2]
    Foto: Diogo Martins, Aldeias do Xisto
  • / O Regresso da Serenidade: Bouçã > Prudência [GR33 - GRZ: Etapa 1]
    Foto: Diogo Martins, Aldeias do Xisto
  • / O Regresso da Serenidade: Bouçã > Prudência [GR33 - GRZ: Etapa 1]
    Foto: Diogo Martins, Aldeias do Xisto
  • / O Regresso da Serenidade: Bouçã > Prudência [GR33 - GRZ: Etapa 1]
    Foto: Diogo Martins, Aldeias do Xisto
m 300 200 100 25 20 15 10 5 km Dornes
O 7.º setor traz, ao longo de 28,4km, O Regresso da Serenidade. O percurso liga a Bouçã, no concelho de Pedrógão Grande, à Área de Descanso do Vale Serrão, no concelho de Ferreira do Zêzere. Passa por Prudência, Foz de Alge, Área de Descanso de Valbom e Dornes.
aberto
moderado
Distância 28,4 km
2:50 h
515 m
512 m

Conselho do autor

Aprecie as paisagens criadas pelas barragens da Bouçã e de Castelo de Bode. Observe as marcas que a exploração mineira deixou na paisagem.

Reserve a sua estadia, experiência e refeição em Book in Xisto.

 

Resultados da Auditoria RESPONSIBLE TRAILS:

(Última auditoria em Julho de 2020)

 

Sinalização > 2 - Falta muita sinalização (necessário GPS ou mapa)

Conservação dos caminhos > 4 - Em bom estado de conservação geral mas com zonas pontuais de maior atenção

Conservação geral > 4 - Sem zonas de degradação identificadas

Estruturas informativas > 4 - Bem mantidas e com interesse

Estruturas interpretativas > 2 - Degradadas e/ou sem relevância

Estruturas de apoio e segurança > 5 - Todas as estruturas recomendáveis bem mantidas

Interação com comunidade > 3 - Interação/contactos pontuais com a comunidade

Integração na paisagem > 5 - Perfeitamente integrado na paisagem, explorando pontos de interesse relevantes

Segurança geral > 4 - Apresenta situações pontuais de baixo risco

Foto do perfil de Aldeias do Xisto
Autor
Aldeias do Xisto
Atualizado: 23.07.2021
Dificuldade
moderado
Técnica
Condição
Experiência
Paisagem
Ponto mais alto
325 m
Ponto mais baixo
119 m
Melhor época do ano
jan
fev
mar
abr
mai
jun
jul
ago
set
out
nov
dez

Possibilidade de pausa para descanço

Zona Balnear do Trízio
Casa do Olival
Praia Fluvial de Fernandaires
Moinhos da Ribeira
Dornes

Informação de segurança

Atenção ao calor no verão e ao piso escorregadio no inverno. Os níveis de dificuldade e tempos apresentados são apenas indicativos. Foram calculados numa base de esforço físico e não contemplam paragens. Faça a sua estimativa analisando os dados técnicos do troço a percorrer.

 

Recomenda-se a utilização de Gps ou App, pois existem alguns cruzamentos sem sinalização.

 

Contactos Úteis

SOS Emergência: 112

SOS Floresta: 117

Dicas e sugestões

A Barragem da Bouçã está localizada na freguesia da Graça, concelho de Pedrógão Grande. Foi construída no Rio Zêzere, junto à pequena localidade da Bouçã, a jusante da barragem do Cabril e a montante da barragem do Castelo de Bode. A barragem da Bouçã apresenta uma característica que a diferencia de todas as outras barragens: a descarga de água é efetuada por cima do paredão, provocando uma cascata de água com 63 metros de altura, criando um cenário único e indescritível. Apesar de se tratar de uma albufeira destinada essencialmente à produção de energia elétrica começa a ser procurada para diversas atividades de cariz desportivo e ambiental, como é o caso da pesca, da canoagem, dos passeios pedestres e de BTT. Nas encostas mais expostas a vegetação é marcada pela presença de estevas, giestas, carquejas e tojos. 

Geologicamente, esta zona de Figueiró dos Vinhos é constituída por xistos, grauvaques e também alguns quartzitos. Contudo, também o ferro e o ouro, no rio Zêzere, foram explorados com objetivos económicos, de forma intensa, pelo menos desde meados do século XVII, sobretudo na zona da foz de Alge e nesta zona da Prudência, embora haja vestígios de explorações do tempo dos romanos nas conheiras. Uma das jazidas exploradas para prover minério à unidade fabril da Foz de Alge, foi a mina da Ribeira da Prudência, localizada entre as Bairradas e o Vale do Rio, estando a sua história intimamente ligada com a Fábrica de fundição de ferro da Foz de Alge, que no seu tempo foi uma das melhores do país. Das minas da ribeira da Prudência saiu ferro para fundir canhões, peças de artilharia naval e de fortificações militares, pregaria para as naus, canos de espingarda, baionetas, varetas, fechos e folhas de espada, fogões para aquecimento (um dos quais está no Convento de Mafra), alfaias agrícolas.

Com a construção da barragem de Castelo de Bode e a subida das águas da albufeira, transformou-se a paisagem e muito do património de Valbom desapareceu. Se, por um lado, foi uma mais-valia na produção hidroelétrica nacional e nas reservas de abastecimento de água, por outro transformou por completo a paisagem, a fauna e flora e os modos de vida das pessoas que viviam nestas margens. Em pouco tempo, passou-se de um rio relativamente estreito, com alguns vales largos onde se praticava a agricultura, com determinadas técnicas e saberes, para um enorme espelho de água onde as vertentes íngremes das serranias vão terminar e onde se teve de reaprender a cultivar. Os terrenos antigamente chamados de várzeas ou nateiros, terrenos agrícolas quase planos, inundáveis durante o inverno, ganhando assim a lama que os tornava férteis, desapareceram passando a agricultura a ser feita em socalcos, devido ao acentuado declive das novas margens. A própria pesca mudou em virtude da alteração do ecossistema do rio. Onde outrora havia eirozes, trutas, bogas, barbos e bordalos, sáveis e lampreias, há agora carpas, percas e achigãs. Perduram os tradicionais barcos do rio Zêzere, os chamados barcos de três tábuas, ainda usados na pesca e no transporte entre margens.

Dornes é rica em história, património, lendas e manifestações religiosas e uma das mais bem preservadas e características aldeias das margens do Zêzere com uma história que remonta ao tempo dos Romanos. Está soberbamente enquadrada pela moldura paisagística que o rio e as serras envolventes lhe oferecem, com as ruas calcetadas e de traçado medieval, a terminar no rio e no templo de Nossa Senhora do Pranto, um local de peregrinação. Destaque também para as casas de arquitetura tradicional, onde se descobrem testemunhos da Ordem de Cristo que ajudam a contar a história da singular Torre Pentagonal Medieval templária, atalaia defensiva do Zêzere, admirável pela sua esplêndida localização e misticismo e verdadeiro ex-libris desta região. Não pode deixar Dornes sem visitar também a Torre Pentagonal, um exemplar raríssimo da arquitetura militar dos tempos da Reconquista. Edificada por Gualdim Pais, foi construída sobre a base de uma antiga torre romana.

Início

Bouçã Lat.: 39° 51' 21.96" N Long.: 8° 13' 30" W (146 m)
Coordenadas:
GD
39.856249, -8.225281
GMS
39°51'22.5"N 8°13'31.0"W
UTM
29S 566268 4412089
w3w 
///chegara.mazelas.mencionou

Destino

Área de Descanso do Vale Serrão Lat.: 39° 46' 13.08" N Long.: 8° 14' 33.072" W

Instruções

O percurso segue pela estrada que ladeia o Rio Zêzere, durante cerca de 1400 metros, após os quais entra num caminho florestal, que desce em direção ao rio. Mantendo-se nas proximidades deste durante cerca de 1000 metros, volta a afastar-se para vencer uma pequena elevação, após a qual toma o caminho à esquerda que leva até aos penedos da Prudência e ao local onde as águas da Ribeira com o mesmo nome encontram o Zêzere. 

Após atravessada uma pequena ponte sobre a ribeira, o percurso toma o caminho à esquerda e volta a aproximar-se do Zêzere o qual acompanha até à Cova da Eira, local onde se situa uma Estação Intermodal. Aqui segue em direção à ponte, onde atravessa a Ribeira de Alge, contemplando as antigas ferrarias da Foz de Alge. De seguida, sobe pela estrada municipal até à aldeia da Foz de Alge, onde se encontra o Parque de Campismo. 

Após o Parque de Campismo, o percurso segue em direção à aldeia do Valbom pela estrada municipal que ladeia o rio Zêzere. Não há alternativas, fruto da subida das águas da albufeira de Castelo de Bode, que mudaram a paisagem nesta região. Algumas centenas de metros antes da chegada a Valbom, o percurso abandona a estrada e toma um caminho à esquerda, que leva até muito próximo da água e à Área de Descanso de Valbom. 

Após subir pelo lugar de Valbom, o percurso volta a encontrar a estrada municipal marginal ao Zêzere, aqui Albufeira de Castelo de Bode. A GRZ segue em asfalto pela esquerda em direção ao lugar de Casalinho de Santana e até à Ribeira de Brás. Neste local, e entrando em caminho de terra à esquerda, inicia-se a subida da Serra de São Paulo, lugar de lendas mouriscas e algumas sepulturas visigóticas. Após a descida, o percurso voltará a percorrer uma estrada asfaltada marginal ao rio até chegar à localidade de Dornes. 

Após cruzar Dornes, o percurso irá decorrer durante 3 km em estrada asfaltada que progressivamente se vai afastando das águas da Albufeira de Castelo de Bode. Nas proximidades de Vale Serrão, encontra a EN238. Após a sua travessia e percorrer 100 metros na sua berma abandona esta via por um caminho de terra situado à direita. Percorridos cerca de 600 metros encontra-se a Área de Descanso de Vale Serrão.

Nota


Todas as ocorrências para esta Rota

Coordenadas

GD
39.856249, -8.225281
GMS
39°51'22.5"N 8°13'31.0"W
UTM
29S 566268 4412089
w3w 
///chegara.mazelas.mencionou
Chegada por comboio, carro, a pé ou bicicleta

Equipamento

Equipamento Básico

  • Capacete de ciclismo
  • Luvas de ciclismo
  • Calçado resistente, confortável e de preferência impermeável
  • Roupas em camadas, que absorvem a umidade
  • Mochila, com capa de chuva
  • Proteção contra sol, chuva e vento (chapéu, filtro solar, jaqueta impermeável e corta-vento / guarda-chuva)
  • Óculos de sol
  • Quantidade suficiente de água potável e lanches
  • Kit de primeiros socorros, incluindo kit para bolhas
  • Bivaque / saco de emergência
  • Manta de sobrevivência
  • Lanterna de cabeça
  • Canivete
  • Apito
  • Celular
  • Dinheiro
  • Equipamento de navegação / mapa e bússola
  • Contactos de emergência
  • Documento de identificação

Equipamento Técnico para Grande Travessias de BTT

  • Bomba de ar ou bomba de CO2 incluindo cartuchos
  • Kit para reparo de furos
  • Câmara de ar extra
  • Desmonta pneus
  • Ferramentas para corrente
  • Chaves hexadecimais
  • Chave inglesa falada / de raios
  • Abraçadeiras
  • Lubrificante
  • Chaves de fenda
  • Suporte para celular / dispositivo, conforme necessário
  • Cadeado para bicicleta, conforme necessário
  • Quando aplicável, a bicicleta deve atender aos requisitos para uso em estradas, ter uma campainha, luzes dianteiras e traseiras, e refletores
  • Sistema de bagagem conforme necessário para a duração da viagem: cestos com suportes
  • Alforjes e bolsas para guidão / selim / quadro
  • Recomenda-se paralamas

longDistanceMountainBikingCamping

  • Barraca (3 ou 4 estações)
  • Fogareiro (inclusive combustível e utensílios)
  • Colchonete. Saco de dormir com classificação de temperatura adequada.
  • Comida
  • Artigos de higiene e medicamentos
  • Papel higiênico

Coisas a levar se ficar num Abrigo de Montanha

  • Artigos de higiene e medicamentos
  • Toalha de secagem rápida
  • Protetor de ouvido
  • Forro para saco de dormir
  • Pijama
  • Cartão de identificação do Clube Alpino, se aplicável
  • Máscara facial e desinfetante para mãos
  • As listas de equipamento 'básico' e 'técnico' são geradas com base na atividade selecionada. Elas não são exaustivas e servem apenas de sugestão.
  • Para sua segurança, leia atentamente as instruções de utilização e manutenção do seu equipamento.
  • Certifique-se de que o seu equipamento cumpre as leis locais e não inclui artigos restritos.

Perguntas & Respostas

Faça a primeira pergunta

Aqui você pode fazer perguntas para o autor.


Avaliações

5,0
(1)

Fotos da Comunidade


Estado
aberto
Avaliação
Dificuldade
moderado
Distância
28,4 km
Duração
2:50 h
Elevação
515 m
Declive
512 m
Percurso de etapas

Estatísticas

  • Conteúdo
  • Exibir imagens Ocultar imagens
Funções
2D 3D
Mapas e trilhas
Duração : horas
Distância  km
Elevação  m
Declive  m
Ponto mais alto  m
Ponto mais baixo  m
Mova as setas para alterar o recorte.